17 set

Amoêdo tem maior crescimento no Instagram. Bolsonaro ainda lidera

Com um aumento de 120%, Haddad é o segundo em crescimento na rede e quarto em volume de seguidores; Bolsonaro é o mais citado por meio de hashtags, com menções associadas a ataque

Atualizado em 18 de setembro, 2018 às 5:25 pm

João Amoêdo foi o presidenciável que mais cresceu no Instagram no último mês. De acordo com levantamento da FGV DAPP, realizado entre 14 de agosto e 13 de setembro, o perfil do candidato passou de 136,3 mil para 452,5 mil seguidores — cerca de 230% de aumento. A ampliação da base na rede levou Amoêdo ao segundo lugar em total de seguidores, atrás apenas de Jair Bolsonaro, que acumula 2,6 milhões de seguidores, volume quase seis vezes maior que o do candidato do Novo. Fernando Haddad ocupa a segunda posição em crescimento, passando de 104,7 mil para 230,3 mil seguidores (quase 120% de elevação). Apesar do aumento expressivo, Haddad fica em 4o lugar em volume total de seguidores, ainda distante de Ciro Gomes que acumulava, no período analisado, 312,4 mil seguidores, resultado do crescimento de 76,2% em sua base na rede desde o início da coleta dos dados.

Presidenciáveis com maior aumento de seguidores no Instagram – de 14.ago a 13.set

Na análise do uso de hashtags sobre os candidatos[1], Bolsonaro também se destaca. O usuários do Instagram fizeram 86,8 mil menções utilizando as principais tags relacionadas ao presidenciável, com pico de referências entre os dias 6 e 7 de setembro, em razão do ataque em Juiz de Fora. Predominam mensagens de apoio e homenagens, com hashtags como #ForçaBolsonaro e #EstouComBolsonaro. E são frequentes posts que consideram Bolsonaro o principal candidato de oposição ao PT e à esquerda, além de publicações em favor de seu projeto para revogar o Estatuto do Desarmamento e em favor da intervenção militar.

Entre as publicações com maior repercussão sobre Haddad — segundo mais mencionado por meio de hashtags, com 21,5 mil menções — destacam-se as que partem do perfil de Manuela D’Ávila – vice na chapa –, chamando a atenção para as atos de campanha. O nome de Lula aparece na maioria das publicações, assim como hashtags sobre a chapa “triplex”. Na oposição, o MBL aparece como principal ator utilizando hashtags que envolvem Haddad para criticá-lo – em atividades de campanha, ou por sua vinculação ao PT e a Lula. Em tais postagens, também são mobilizadas hashtags em apoio à Operação Lava Jato, ao juiz Sérgio Moro e ao impeachment de Dilma Rousseff. A hashtag #haddadélula aparece em ambos os campos: em tom de denúncia e de esperança, a partir dos perfis de apoio ao petista.

Na terceira posição entre os candidatos mais abordados em hashtags (6,3 mil), Amoêdo e o partido Novo são os principais mobilizadores de publicações sobre a candidatura. Estes posts falam, majoritariamente, sobre as atividades de campanha do presidenciável. Em outras publicações, o candidato do Novo aparece como nome possível para os “desencantados” com a política tradicional e com a corrupção. No entanto, alguns apoiadores de Bolsonaro também citam Amoêdo em menções que defendem a candidatura do deputado do PSL com o argumento de que é preciso um candidato único da direita para derrotar Lula e o PT.

Ciro Gomes (5,9 mil) tem como principais temas no Instagram publicações com teor humorístico. As falas mais “ácidas” do presidenciável são recortadas e transpostas pelos usuários para imagens, repercutidas com mensagens de elogios a sua atitude. Um ator bastante proeminente na promoção das hashtags em apoio ao presidenciável é o advogado e candidato a deputado estadual pelo PDT Túlio Gadelha, que faz referência a Ciro com hashtags que divulgam também a sua própria campanha, como #Túlio1212 e #chegajunto. Publicações do MBL em oposição a Ciro também são bastante repercutidas. Algumas das hashtags utilizadas em postagens sobre Ciro o vinculam a supostos escândalos de corrupção em seu partido, associando tags com seu nome a outras, como #corrupção e #réu.

Evolução de publicações com as principais hashtags dos candidatos

Apesar do baixo crescimento em volume de seguidores no período analisado — apenas 9,43% —, Alckmin mobilizou 3,2 mil postagens com suas hashtags mais recorrentes, ficando na quinta posição em volume de menções. Grande parte das publicações que usam hashtags sobre Alckmin, no entanto, é em apoio a Jair Bolsonaro, sem menções diretas a Alckmin — a utilização de hashtags com outros nomes de presidenciáveis serve como estratégia para alavancar as postagens dos usuários. Também têm destaque a divulgação de sua participação em debates por páginas de direita.

Vale destacar, ainda, o uso peculiar das hashtags associadas a Marina Silva (3 mil menções), que foi muito citada em relação a um trecho de sua sabatina no “Jornal Nacional” em que, ao ser questionada sobre sua posição acerca da Reforma da Previdência, disse ao apresentador que “eu expliquei mas você parece continuar com dúvidas”. Nestas postagens, aparecem hashtags sobre as eleições e outras como “moda”, “model”, “look” e “babado” e “fofoca”, entre outras. O embate entre Marina e Bolsonaro durante o debate na RedeTV! também foi destaque na rede. Publicações com trechos da disputa entre ambos foram compartilhadas por páginas de notícias sobre famosos, onde não foram tão comuns publicações sobre os demais candidatos.

 

Nota

[1] A coleta de dados textuais no Instagram obedece às restrições de acesso estabelecidas pela própria plataforma, seja quanto ao volume de postagens disponibilizadas — que é limitado pelo Instagram — seja quanto à categorização semântica por temas ou atores. Por isso, optou-se metodologicamente pela busca por incidência de hashtags, cuja pesquisa na rede social é possível, considerados os limites de volume obtidos na coleta de publicações.