30 ago

Bolsonaro lidera no Twitter com maior grupo do debate crítico a ele

Lula é o segundo em volume de referências, apesar de queda de 44% nas menções; Amoêdo tem crescimento expressivo no Facebook

Atualizado em 31 de agosto, 2018 às 1:28 pm

Protagonista, até o momento, da série de entrevistas no “Jornal Nacional” — com mais de 1,3 milhão de menções no Twitter em 12 horas —, Jair Bolsonaro prossegue expandindo a distância sobre os demais presidenciáveis no debate nas redes, aproveitando-se também de nova queda nas referências a Lula. Nova edição do DAPP Report – A semana nas redes mostra que o ex-presidente teve, entre 23 e 29 de agosto, 734 mil menções, frente a 1,292 milhão no período imediatamente anterior. Ou seja, queda de 44% no debate. Já Bolsonaro, agora atingindo mais de 2,6 milhões de tuítes por semana, já apresenta com regularidade 200 mil referências por dia, não raro com mais de 300 mil citações/dia, a depender de certas discussões e temas.

>> Confira a íntegra do DAPP Report – A semana nas redes

>> Leia também: Investimentos em educação e proposta sobre o SPC destacam-se no debate econômico

Bolsonaro se consolida como foco central das discussões de apoio e antagonismo no debate político e, além de continuar polarizando com Lula as discussões sobre corrupção, foi dominante em referências, esta semana, a questões econômicas e de educação — enquanto mantém o predomínio em segurança. Ciro Gomes, apesar da presença na TV Globo, teve menos associação a questões econômicas esta semana que na anterior, enquanto Geraldo Alckmin mantém patamar semelhante ao das últimas semanas. Marina Silva tem dificuldades para voltar a concentrar atenções na rede social, após o embate com Bolsonaro no debate da Rede TV!.

Evolução de menções no Twitter – Top 10 – 23.ago a 29.ago

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

No Facebook, o principal destaque desta semana, consolidando movimento de ascensão já observado há alguns meses, é João Amoêdo, que apresentou melhora, recentemente, nas pesquisas de intenção de voto. O candidato do Novo figura regularmente como o presidenciável de maior volume de interações obtidas diariamente, mesmo à frente de Bolsonaro e de Lula — cujos picos em dias específicos continuam superando o engajamento com Amoêdo, no entanto. Bem abaixo, Marina e Ciro seguem em destaque sobre Alckmin ao atrair interações na rede social.

Engajamento nas páginas de atores políticos
Top 10 – 23.ago a 29.ago

Fonte: Facebook | Elaboração: FGV DAPP

Mapa de interações

Foram coletados entre os dias 22 e 28 de agosto 3.410.175 tuítes e 2.350.042 retuítes no Twitter sobre os presidenciáveis e as eleições. Destes, 148.415 retuítes foram identificados como advindos de 1.621 perfis automatizados — o que equivale a 0,35% dos perfis totais e 6,32% das interações. Apenas com as interações identificadas como orgânicas, foi construído o mapa de interações a seguir, no qual é possível identificar cinco grupos distintos nas discussões sobre as eleições e os candidatos.

Mapa de interações sem robôs sobre os presidenciáveis
2.350.042 retuítes | data de análise: 22.ago a 28.ago

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Tabela de dados do debate total (com robôs)

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Grupo rosa
Permanece como o grupo que mais agrega perfis (54,7%). Em termos de interações, no entanto, fica em segundo lugar, com 26,2% do volume de retuítes. Muitas das mensagens do grupo possuem tom irônico, utilizando memes e piadas sobre o cenário político e seus principais atores. Os perfis demonstram apoio a pautas progressistas e fazem críticas a Jair Bolsonaro. A maior parte dos tuítes mais populares no grupo faz menção à entrevista do candidato ao “Jornal Nacional”, principalmente ao comentário da jornalista Renata Vasconcellos sobre a desigualdade salarial entre homens e mulheres, que foi exaltado pelo grupo. Outras postagens que repercutiram no grupo demonstram preocupação com uma possível eleição de Bolsonaro e com a possibilidade da legalização do porte de armas caso ele seja presidente.

Grupo azul
Segundo grupo com mais perfis (15,6%), o azul é o primeiro em interações, provocando 41,4% dos retuítes. Os perfis demonstram apoio a Bolsonaro, e o presidenciável é o principal influenciador dos debates, com tuítes entre os mais populares do grupo. A publicação que mais se popularizou mostra uma foto de Bolsonaro cercado por mulheres e traz a mensagem do candidato de que “uma imagem bacana vale mais que mil matérias distorcidas”. Em outra postagem, o deputado diz que, se as ONGs de direitos humanos continuarem defendendo “inversão de valores” como aborto, não terão dinheiro do governo caso ele vença as eleições. Um tuíte de outro usuário questiona o fato de o Tribunal Superior Eleitoral não ter se manifestado sobre o caso da suposta compra de influenciadores digitais pelo PT e de as plataformas Facebook e Twitter não terem bloqueado contas após a revelação do caso.

Grupo vermelho
Em terceiro lugar em quantidade de perfis (10,7%) e em volume de interações (19,9%), o grupo possui alinhamento político mais à esquerda, tendo como principais influenciadores Lula, Haddad e o perfil do PT. Por conta disso, muitas postagens defendem a candidatura de Lula e que seja cumprida a sugestão do Comitê de Direitos Humanos da ONU de mantê-la, além de questionarem sua prisão e o próprio juiz Sérgio Moro. Também aparece no grupo tuíte de Guilherme Boulos, no qual o candidato diz para banqueiros e empresários não votarem nele, porque ele irá cortar os privilégios deles. Seguindo a crítica aos benefícios dos bancos, o grupo também reclama de ninguém falar nada quando Michel Temer perdoa dívidas de bancos e empresários que devem ao país, mas se revoltarem quando Ciro diz que vai limpar o nome das pessoas no SPC.

Grupo laranja
Com 7,5% dos perfis em debate, foi responsável por 6,7% das interações, e tem como principal influenciador João Amoêdo. O candidato ficou em terceiro lugar como influenciador no grafo como um todo, atrás apenas de Bolsonaro e Lula. A maior parte do grupo laranja apoia João Amoêdo e o partido Novo. No entanto, existe um subgrupo de apoio a Marina, segunda principal influenciadora do grupo. Por conta disso, têm destaque tuítes dos dois candidatos entre as principais mensagens do grupo. Amoêdo fala do crescimento das intenções de voto na pesquisa estimulada e pede que seus eleitores continuem divulgando o Novo para que “a onda laranja cresça”. Além disso, critica a proposta de Ciro de perdoar as dívidas do SPC. Marina, por sua vez, aparece criticando Bolsonaro em seus tuítes. Critica, por exemplo, a fala de Bolsonaro sobre rasgar e jogar na latrina o Estatuto da Criança e do Adolescente ao dizer que quem deve ir para a latrina são ideias “que ofendem a sociedade brasileira” ao incitar a violência como solução.

Grupo rosa-choque
Menor grupo identificado, agrega 4,8% dos perfis e gera 3,9% das interações. O principal influenciador do grupo é o perfil Sensacionalista, seguido por Ciro Gomes. O principal tuíte, do @sensacionalista, diz que Bolsonaro não vai mais aos debates pois teria esgotado “os assuntos que cabem na palma da mão”. O segundo principal tuíte faz piada sobre a postura do jornalista William Bonner durante a entrevista com Ciro. Também aparecem tuítes que criticam Bolsonaro, principalmente sua política de legalização do porte de armas.

Perfis automatizados

Os robôs identificados de acordo com a metodologia da FGV DAPP provocaram 6,3% das interações, valor menor do que o registrado na análise anterior (8,7%). Os grupos vermelho e azul continuam como os campeões na presença de contas automatizadas. No grupo azul, foram identificados 492 robôs, que geraram 79.743 interações. No grupo vermelho, foram 393 contas automatizadas, que provocaram 52.534 interações. Apesar de o grupo vermelho ficar atrás do azul em números absolutos de contas e de interações, foi o vermelho o mais impactado por robôs em termos proporcionais, com 0,8% dos perfis e 10,7% das interações. O grupo azul, por sua vez, contabilizou 0,7% de perfis e 8% das interações como automatizadas. O grupo rosa-choque, apesar de apresentar número mais baixo de perfis automatizados, teve volume expressivo de interações geradas por eles quando se observa o volume proporcional no campo: 6,8%.