16 ago

Planos de governo mobilizam menções a emprego e Bolsa Família

O primeiro debate dos presidenciáveis na TV foi o principal norteador das discussões em economia na semana

Atualizado em 16 de agosto, 2018 às 5:35 pm

O primeiro debate dos presidenciáveis na TV também foi o principal norteador das discussões em economia nesta semana, mostra nova edição do DAPP Report – A semana nas redes. Jair Bolsonaro continua sendo o candidato mais mencionado, e o assunto de maior repercussão foi a sua declaração no debate da Band em que nega que os militares tenham algum privilégio em relação a aposentadorias. Apesar de receber apoio entre seus eleitores, o tema rendeu inúmeras críticas de usuários que afirmam que Bolsonaro não tem conhecimento sobre questões referentes à previdência.

>> Confira a íntegra do DAPP Report – A semana nas redes

>> Leia também: Campanha oficial começa com forte polarização entre apoiadores e críticos de Lula

A apresentação do plano econômico do candidato do PSL à Presidência foi outro momento de destaque nas redes, causando pico no dia 14 de agosto — responsável por 19,2% do total de menções a Bolsonaro, no período. Em meio a críticas pela falta de clareza do plano e pela incongruência com as promessas feitas durante sua pré-campanha, os temas que mais repercutiram foram Bolsa Família e renda mínima, a criação de um Ministério de Economia e o amplo apoio a privatizações.

Evolução de menções no Twitter – Top 10 no debate econômico
9.ago a 15.ago

Fonte: Twitter | Elaboração: FGV DAPP

Em relação a Ciro Gomes, diversos assuntos como inflação, desemprego e crédito aparecem associados ao candidato após o debate da Band. As menções a Ciro tiveram um pico na sexta-feira (10), representando quase 60% do total de menções a ele no período. O principal destaque, no entanto, foi a proposta de retirar nomes de pessoas do cadastro negativo, tema bastante questionado por parte dos usuários, que afirmam que isso não passou de uma estratégia para atrair um eleitorado que vem sofrendo com a crise econômica e que a proposta não acrescentaria nenhuma novidade. Já os apoiadores defenderam que é preciso ter políticas voltadas para ajudar o cidadão comum a sair do endividamento. Eles alegam que a cobrança de juros no país é abusiva e que já existem medidas nesse sentido que beneficiam as grandes empresas.

Tanto Ciro quanto Bolsonaro estiveram relacionados a esse assunto em função da repercussão da “troca de farpas” entre os dois durante o debate, que gerou milhares de tuítes e notícias sobre a questão. A polêmica contribuiu para o principal pico de referências a Bolsonaro, ainda que proporcionalmente menor (31,4%) do que no caso do pedetista.

Em relação a Lula, o destaque foram os comentários sobre o debate paralelo ao da Band promovido pelo PT. As propostas de governo na área econômica, visando a recuperação da economia e a geração de empregos foram os temas mais discutidos em relação ao candidato. Muitas menções a números e medidas do seu governo nessas e em outras áreas prioritárias, como saúde e educação, tiveram destaque nas redes.

Já Alckmin continua em tendência de queda mesmo após o debate — o volume de menções ao tucano no dia do debate representou cerca de 30% das menções a ele e 10% a menos que o registrado no dia anterior. As menções continuam associadas a pautas comumente defendidas por Alckmin, como privatizações, Reforma Trabalhista e o Bolsa Família.