24 ago

Programas oficiais divergem de discurso dos presidenciáveis

Marina e Ciro tiveram o maior descolamento entre programa de governo e redes, alcançando, respectivamente, 8,16% e 8,14% de divergência em média por tema

Atualizado em 28 de agosto, 2018 às 12:19 pm

Os planos de governo registrados junto ao TSE nem sempre se refletem nas pautas priorizadas pelos candidatos à Presidência em suas contas oficiais no Facebook e no Twitter. A FGV DAPP comparou as propostas de cada plano às postagens de cinco candidatos à Presidência ao longo de 45 dias (de 1º de julho a 15 de agosto). Marina Silva e Ciro Gomes tiveram o maior descolamento médio entre programa de governo e redes — alcançando, respectivamente, 8,16% e 8,14% de divergência em média por tema, no período.

Proporção de cada tema nos programas e nas redes dos candidatos (em %)

Fontes: Twitter, Facebook e Programas | Elaboração: FGV DAPP

Associada à agenda da defesa do Meio Ambiente, Marina Silva prioriza, em suas medidas para Infraestrutura, ações que resultem em uma utilização racional dos recursos naturais. A temática, no entanto, é a que menos se destaca em seu programa de governo, respondendo por apenas 2,6% das propostas registradas junto ao TSE. Por outro lado, predominam no documento proposições relacionadas ao tema Programas Sociais – 17,5%.

Nas redes, a maior parte das postagens enfatiza sua posição em relação a questões de Economia – o assunto gerou 22,6% das publicações no Twitter e no Facebook. Programas Sociais respondem por apenas 2,4% das manifestações de Marina nas redes, e Infraestrutura aparece em somente 1,2% dos casos, menor participação entre os temas citados. Relações exteriores não foi mencionado nenhuma vez.

Ciro despende mais atenção em seu programa para propostas relativas às Relações Exteriores, as quais correspondem a 16,8% do total. No entanto, o assunto não aparece em nenhuma das publicações do candidato nas suas redes sociais, durante o período analisado. Agronegócio/Sustentabilidade é, por sua vez, o tema menos abordado pelo plano de governo, aparecendo em apenas 1,9% das propostas. Nas redes sociais, além de Relações Exteriores, não há nenhuma publicação do candidato sobre temas relativos a Programas Sociais e Agronegócio/Sustentabilidade. O tema com maior engajamento do candidato nas redes é Economia, com 53,5% das publicações voltadas à área.

Segurança, pauta que se mostra recorrentemente associada a Jair Bolsonaro, não é o tema campeão de propostas nem em seu programa de governo, nem nas postagens produzidas por suas contas oficiais no Twitter e no Facebook. No primeiro caso, o assunto mais mencionado pelo candidato é Economia (41,3% das propostas). Segurança vem em seguida, empatado com Educação/Cultura, ambos ocupando 12,7% das postagens.

Já nas redes, o discurso crítico a pautas de Direitos Humanos é mais recorrente (21,4%), seguido por Administração Pública (19,4%), Corrupção e Segurança (esses dois com 14,6% cada). Economia — assunto predominante nas redes dos outros candidatos monitorados e destaque no programa de governo de Bolsonaro — não ganha tanta atenção em suas redes, respondendo por 9,7% das publicações. Saúde e Infraestrutura não foram mencionados pelas contas oficiais do candidato, que registrou divergência média por tema de 7,76%.

Já no programa de governo de Lula, Educação/Cultura figura como tema mais expressivo, respondendo por 24,8% das proposições do petista — enquanto, nas redes, o destaque está entre as referências à Economia (34,1%), seguido por Corrupção (17,8%) e Administração Pública (13,6%). Educação/Cultura, aqui, aparece somente na quarta posição, com 9,8% das postagens. Por outro lado, o tema menos citado nas propostas de governo é Infraestrutura, com 1,6% das proposições. Nas redes, o último lugar em volume de referências é Inovação/Tecnologia, com 0,5% das postagens em perfis do ex-presidente. O candidato teve 6,17% de divergência média por tema.

Geraldo Alckmin prioriza temas econômicos tanto em seu programa de governo (20% das propostas) quanto nas publicações de seus perfis oficiais nas redes (34,7%) — o tucano apresentou a menor divergência em média por tema, no período analisado: 4,4%. De maneira geral, as maiores divergências estão nos temas menos abordados pelo candidato. No plano de governo, por exemplo, as ações voltadas para Infraestrutura são as menos numerosas (1,4%), enquanto, nas redes, a temática congrega 4,8% do debate.

Programas

A análise global dos programas dos candidatos demonstra que Economia foi o tema mais abordado. Jair Bolsonaro foi o que mais destacou o assunto, dedicando, proporcionalmente, 41,3% de seu programa a ele. Para o mesmo tema, Geraldo Alckmin dedicou 20% do total de seu programa, assim como Lula. Já o programa de Ciro Gomes possui 11,5% de seu conteúdo voltado para propostas na área. Marina Silva foi a que menos destacou o tema em seu programa, com 6,4%.

Relações Exteriores foi o tema mais presente no programa de Ciro Gomes, com 16,8% das propostas relativas a ele. O percentual deste tema no programa do pedetista foi mais do que o triplo do programa de Geraldo Alckmin (5,7%) e de Marina Silva (5,5%). Marina foi, como já mencionado, a candidata que mais atentou para o macrotema Programas Sociais, com 17,5% de seu programa voltado a propostas para a área. O segundo e terceiro colocados foram Lula (12%) e Ciro Gomes (10,1%). Em último lugar, aparece Jair Bolsonaro, com 1,6% de seu programa destinado ao tema – número bastante inferior aos demais.

Educação/Cultura, destaque no programa de Lula (24,8%) teve, proporcionalmente, menor espaço em outros planos de governo: 15,5% entre as propostas de Marina Silva, 12,7% nas de Bolsonaro e 11,1% nas de Ciro.

Direitos Humanos, tema menos repercutido no programa de Bolsonaro (0,8%), também não contou com grande adesão dos demais candidatos, cujas propostas para a área não alcançam 10% do total de seus programas. Propostas neste tema compõem 8,6% do programa de Alckmin, 7,2% de Lula, 6,7% de Ciro e 6,4% de Marina.

Inovação/Tecnologia supera os 5% apenas no programa de Marina (11,1% das propostas). O programa de Ciro Gomes tem 4,3% de propostas voltadas para a área; o de Alckmin, 2,9%; o de Bolsonaro, 2,4%, assim como o de Lula 2,4%.

Como foi feito o levantamento

A FGV DAPP classificou tópicos e propostas detalhadas nos programas de governo e nas publicações em redes sociais (Facebook e Twitter) dos candidatos à Presidência em 12 macrotemas: Administração Pública, Agronegócio e Sustentabilidade, Corrupção, Direitos Humanos, Economia, Educação/Cultura, Infraestrutura, Inovação/Tecnologia, Programas Sociais, Relações Exteriores, Saúde e Segurança.

A análise descartou menções de redes sociais que não se coadunam com o conteúdo temático dos programas de governo, como críticas a adversários, divulgações de campanha, referências familiares, comentários não políticos e afins.

O percentual de cada tema na análise por candidato considera o total de propostas, no caso do programa, e o total de menções ao assunto, no caso das redes sociais. A divergência é calculada a partir da média das diferenças entre as porcentagens das duas bases (representação do tema no programa – representação do tema na rede / o total de temas).